O Yôga é uma religião?

O Yôga antigo (pré-vêdico, pré-ariano, pré-clássico) possui características: não guerreira, desrepressora, sensorial e matriarcal (tântrica) e naturalista (sámkhya).

O povo drávida (habitou a Índia há 4000 a.C.) foi uma das civilizações mais avançadas da antiguidade. Arqueólogos encontraram evidências que suas cidades possuíam um sistema urbano planejado, com arquitetura e administração pública engajada e um povo que vivia muito bem, porém, não encontraram templos ou vestígios de estatuetas de adoradores.

Ou seja, este povo não era religioso ou espiritualista, e sim, naturalista (naturalismo é a filosofia que atribui causas naturais a todos os efeitos).

Em torno de 1500 a.C., a Índia foi invadida por bárbaros, com características: patriarcal, guerreira, anti-sensorial, repressora e mística. Com 1200 anos de invasão, o Yôga foi arianizado (brahmáchárya). Na idade Média, o Yôga sofre outra mudança e passa a ter características Vêdánta (espiritualista). Já no séc. XX o Yôga é ocidentalizado.

Devido a tantos acontecimentos na história e transformações que o Yôga sofreu, hoje notamos a existência de inúmeras modalidades e ramos do Yôga.

Post colaborativo

Yôga de Alta Performance com Amanda Carvalho
Força, equilíbrio, flexibilidade, energia e poder!
Email: amandacarvalhoretz@gmail.com
Fones: (14) 99819-1188 (Vivo) | (19) 98244-2915 (Tim/WhatsApp)

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *