14 • julho • 2015

Entrevista com a atleta BodyFitness Ingrid Marcato

A entrevista de hoje é especial e direcionada para as leitoras que levam uma vida normal, mas tem um sonho de um dia se tornar atleta de fisiculturismo. A Ingrid é um ótimo exemplo de motivação, a conheço a um tempo e ela mostra como conseguiu se tornar Campeã Paulista da sua categoria este ano.

A Ingrid Marcato tem 22 anos, mora em Bauru/SP e é Nutricionista.

JOGO RÁPIDO:

Peso e manequim antes: 65kg | Manequim: 40 e Blusa: P
Peso e manequim atual: 58kg | Manequim: 34 e Blusa: M
Altura: 1.59m
Uma inspiração: Nicole Wilkins
Uma meta: Minha meta é se tornar uma atleta Pro
Redes Sociais: Instagram | Facebook

1. Você tinha um sonho de um dia competir? O que te motivou a mudar radicalmente sua vida?

Desde de pequena eu sempre amei esportes, inclusive lutei muay Thay 3 anos e chegue a competir também. Devido a problemas no lombar por causa do Muay Thay, fui para a musculação para fazer fortalecimento e tive que parar.

Quando entrei no mundo da musculação, sempre quis ter um corpo mais atlético com músculos, mas sem ficar masculina (risos), já que eu era muito magrinha. Ai comecei a treinar, porém nunca tinha o resultado esperado, pois não me alimentava corretamente e não treinava de maneira certa.

Foi então que conheci o Vitor Marcato que veio a se tornar meu esposo, que me auxiliou nos treinos e na parte alimentar, cujo ele já tinha uma base, devido ao tempo maior de profissão.

Quando ele veio a competir, vi o quanto ele passou por dificuldades para segurar a dieta, treinos intensos e trabalho, isso me instigou a querer participar, pois sempre gostei de desafios e sempre fui ligada a esportes competitivos e sempre gostei de chegar ao meu limite.

Ao entrar na faculdade aprendi um pouco mais sobre alimentação que me ajudou a prosseguir.

2. Qual foi sua primeira mudança?

Para entrar no padrão da minha categoria que é BodyFitness. Tive que abrir mão de minhas pernas que eram musculosas e volumosas (sofri muito para conseguir um volume de perna e depois abrir mão disso foi muito difícil), e fiz um trabalho muito ardo aumentando meu volume de membros superiores, e fiquei praticamente 1 ano sem treinar membros inferiores, somente dando pequenos estímulos.

3. Como era sua vida antes de ser saudável?

Antigamente eu fazia ingestão de muitos doces, coca cola, comidas gordurosas e não me alimentava nos horários corretos. Resultado disso tinha um percentual de gordura na casa de uns 23% (falsa magra).

4. Você teve algum apoio das pessoas mais próximas?

Minha mãe foi a que mais me apoio, pois também sempre gostou muito de esportes e quando disse pra ela sobre competir, ela me apoio totalmente, sem contar que tive o apoio do meu esposo Vitor Marcato e do Marcio Magnani que me ajudaram nas preparações.

Hoje meu maior incentivo a continuar é mostrar para minha falecida mãe que eu consegui.

5. Quais foram as maiores dificuldades? Como superou?

Além da mudança brusca do estilo do meu corpo, a dieta e os treinos são muito pesados, sem direito a falha ou “escapadinhas”.

O que me ajudou muito foi que eu e meu esposo temos o mesmo objetivo, com isso um apoia o outro e não deixamos nos abater nos momentos de fraqueza, além das criatividades que temos na cozinha, pois todo dia é a mesma coisa, se não tivermos criatividade ai não dá (risos).

6. Você era sedentária ou praticava atividades físicas quando iniciou?

Nunca fui sedentária, sempre amei esportes. Eu fiz balet, ginástica olímpica, natação, muay thai e fui para musculação, porém a musculação foi a mais difícil para mim, pois é um esporte solitário e repetitivo.

7. Você teve ajuda profissional na sua mudança? Como era o cardápio? E sua rotina de exercícios?

Tenho auxilio do meu esposo Vitor Marcato e do Marcio Magnani.

No meu cardápio faço 6 refeições por dia tendo todas elas proteína e 3 delas com carboidratos de índice glicêmico baixo, e utilizo gorduras boas em algumas delas, lembrando que para cada pessoa existe um cardápio adequado, uma necessidade, por isso, sempre procure um profissional na área, para adequar seu treino e sua dieta.

Sobre minha atividade física, realizo aeróbio 2x ao dia, em torno de 2h30min e um treino de musculação, que é divido pelos profissionais que me auxiliam. Minha rotina de treino é todos os dias.

8. Como foi competir? Você teve ajuda de patrocinadores?

Em todas as competições que eu fui, sempre fui sem auxilio, com economias minha e do meu esposo. Somente agora no campeonato brasileiro, que tive o apoio, da Corpo Ideal Suplementos que me ajudou com a despesa de viagem. E também realizamos uma rifa, para arrecadar fundos e conseguir ir competir, já que era em outro estado, e o custo foi muito alto, nesta rifa a academia Powerlife GYM, Gisele Jacomassi, M6nutristore e NutriEmporio, Menina Bonita, ajudaram oferendo produtos para o sorteio.

Este estilo de vida, é muito caro, pois além da alimentação, academia, tem a suplementação que não pode faltar, e como não tenho patrocínio, o custo fica ainda maior.

9. Como se sente agora? E a autoestima? O que mudou no seu dia a dia?

Me sinto bem, com a sensação de dever cumprido, porem sei que tenho muito a melhorar ainda para virar uma Pró, que é o meu sonho.

Devido a mudança brusca do meu corpo e a diminuição do percentual de gordura perdi muito seio, isso foi o que me deixo péssima, porem nada que um silicone não resolva (risos), mas estou muito feliz com o meu corpo e não me arrependo das minhas decisões.

O meu dia a dia se tornou muito corrido devido aos treinamentos, atendimentos clínicos, casa para cuidar e dieta à preparar.

10. Dos alimentos da dieta, qual o seu preferido? Como você faz para controlar a vontade de comer doce? Você suplementa?

O meu alimento preferido por incrível que parece é batata doce feita na AirFryer. Controlo minha vontade de doces fazendo mingauzinho de Whey protein ou receitinhas fit (Adoro).

Utilizo suplementos sim, auxiliam muito na minha dieta.

11. Qual é o seu conselho ou dica para as leitoras do blog que querem competir?

Minha dica é: Tenham perseverança, foco, força de vontade, pois não é nada fácil e não desistam com os primeiros tombos.

E sempre procurem alguém de sua confiança para te auxiliar. É um esporte muito gratificante, porém não existe meio atleta você tem que se dedicar por completo.





Marina Iris - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018