Please assign a menu to the primary menu location under menu

CrossFit – A visão de um Fisioterapeuta diante essa nova modalidade de treinamento

Como podemos classificar o CrossFit, um esporte ou uma modalidade de treinamento? Se cogitarmos uma classificação, poderíamos ficar com as duas, porém teríamos que buscar maior entendimento sobre as duas.

Se propusermos utilizar o CrossFit como uma modalidade de treino, iriamos relembrar de diversas outras modalidades que foram surgindo com o tempo e evolução da prática esportiva, uma que mais me chama atenção pela similaridade é o treinamento funcional, porém guardando suas particularidades para cada uma.

Porém, existe algo muito importante entre ambas, até mesmo com um treinamento realizado para reabilitar um paciente em nosso consultório, a palavra funcional.

Ambos os treinos proporcionam ao aluno um ganho em diversas capacidades físicas, P.E.: força, resistência cardiorrespiratória, velocidade, coordenação motora e agilidade, estas, importantes e necessárias para o dia-dia, melhorando assim sua condição de realizar atividades comuns como levantar-se, agachar-se com peso nas mãos ou até mesmo para uma dona de casa estender uma “muda” de roupa no varal.

Isso me remete aos meus pacientes os quais busco também essa melhora funcional, então o que difere o CrossFit dessas outras modalidades?

As particularidades do Crossfit faz dele diferente, um modelo de treinamento específico, com rotinas não protocoladas e não pré-estabelecidas, além de toda uma roupagem voltada para competições, onde voltamos ao início do texto que propusermos classifica-lo também como um esporte.

Segundo o Coach Massa (Crossfit HT) para ser classificado como um esporte a modalidade teria que ter um órgão regulamentador, algo que ainda o CrossFit não tem, porém caminha para isso, já apresentando inúmeras competições nacionais e internacionais.

Sendo assim é seguro sua prática? E o mito que é um treinamento intenso e gera diversas lesões, tem veracidade?

Precisamos antes entender o que é lesão, segundo o Sistema de Registro de Lesões Atléticas (NAIRS), indica como lesões esportivas aquelas que limitam a participação do atleta ou esportista por, no mínimo, até um dia após o acontecimento que provocou a lesão.

Assim como qualquer outro esporte praticado em alta intensidade, ou melhor, em nível de competição, tem sim o risco de lesão.

Em nível de curiosidade esportes como o badminton apresentam cerca de 85% de atletas com algum nível de lesão durante um ano de sua prática. Para praticantes de corrida em nível de competição ou simplesmente como prática esportiva, 65% de seus praticantes apresentam lesão durante o mesmo período citado acima.

Outro dado interessante foi o estudo realizado pelos Fisioterapeutas dos países participantes das Olimpíadas de Pequim, onde verificaram que o esporte com maior índice de lesões durante a competição foi o futebol, acometendo cerca de um terço de seus praticantes.

Isso demonstra mais uma vez que o CrossFit pode ser considerado um uma modalidade de treinamento físico esporte/prática esportiva segura, pois se pensarmos em alguns exercícios praticados no CrossFit, vamos verificar a semelhança com esportes como a ginástica artística e atletismo .

Esquecendo um pouco dos dados e expressando minha opinião como Fisioterapeuta, há três meses venho praticando esse esporte e consegui verificar pontos fortes e fracos do mesmo e assim elaborar uma opinião concreta.

O CrossFit é baseado em uma metodologia programada onde o Coach (Professor) consegue introduzir indivíduos sedentários a realizar movimentos mais complexos. Um exemplo disso é sua programação de treinamento que passa por:

1- Aquecimento inicial – com alongamentos, movimentos articulares específicos para o dia, liberação das articulações, promovendo ao corpo do indivíduo um maior preparo para os exercícios a serem executados no dia (Mobility). Além de utilizarem exercícios frequentes de fortalecimento do Core (centro de estabilização da coluna)

2- Skill – onde os professores ensinam passo a passo os movimentos que fazem parte do exercício a ser executado no Wod.

3- Wod – é a parte final de treinamento, onde são realizados os exercícios do dia. Sendo que os alunos iniciantes passam por “wods adaptados”, se pudermos chamar assim, promovendo a eles mais um período de adaptação e aprendizado, diminuído significativamente o risco de lesões.

Fica claro que assim como qualquer esporte o CrossFit possui um risco de lesão, porém fica mais evidente a segurança do mesmo.

Foi verificado através desse período acompanhando o esporte, que quando bem executado e com profissionais qualificados só trará benefícios ao aluno, melhorando significativamente sua capacidade funcional e conseguindo além disso prevenir lesões futuras em outros esportes ou até mesmo nas suas AVd´s.

Vale ressaltar que para ser praticado é necessário procurar um cardiologista, para exames de rotina e passar por uma avaliação de um Fisioterapeuta, para assim realizar os exercícios com mais segurança.

Post colaborativo

Por: Prof. Me. Felipe Alavarce
Contribuição: Coach Massa (Crossfit HT)
Site: www.osteopatiabauru.com.br
Email: contato@osteopatiabauru.com.br

Fotos: CrossFit Fuengirola

The author: Marina Iris

Marina, 33 anos, casada, mãe do #babyRafa, mora em Bauru/SP, Publicitária, apaixonada por musculação e hoje leva uma vida saudável.
Leave a Reply