Posts marcados na categoria Destaques

31 ago, 2016

Barriga chapada: dieta adequada é essencial

Quando se trata de mudar algo no corpo é quase unanimidade: ter o abdômen definido ou uma barriga lisinha é um dos maiores desejos das pessoas. Não é à toa que a lipoaspiração e a plástica no abdômen lideram a lista de cirurgias plásticas mais realizadas no país. O mais contraditório é que se por um lado a preocupação com a boa forma é crescente, por outro 52,5% dos brasileiros estão acima do peso de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Essa preocupação vai muito além da estética: o acúmulo de gordura nessa região do corpo é também um fator de risco para o surgimento de diversas doenças. Normalmente fruto da má alimentação e sedentarismo, mudar hábitos, reduzi-la e combate-la é extremamente benéfico não somente à boa forma, mas principalmente à saúde.

Questão de saúde

O corpo humano possui dois tipos de gordura abdominal: a visceral e a subcutânea. Ambas fazem mal à saúde, porém, o primeiro tipo é o mais preocupante. Apesar de desempenhar uma função protetora aos órgãos, quando o nível do tecido adiposo visceral está acima do normal, o risco do desenvolvimento de doenças aumenta consideravelmente: hipertensão, aumento de triglicerídeos e colesterol, resistência à insulina e alterações metabólicas como a diabetes estão relacionadas ao excesso desse tecido.

Além disso, aumenta-se o risco doenças cardiovasculares. Já a gordura subcutânea, embora menos nociva, também tem seus efeitos adversos: localizada abaixo da pele, é mais visível e mais difícil de ser eliminada. Facilmente palpável, é responsável pela celulite e pelos temidos “pneuzinhos”.

Como identificar

A gordura visceral, embora também presente em mulheres, é mais comuns em homens. Responsável pelo aspecto “barriga de cerveja”, caracteriza um abdômen distendido e rígido, mesmo em indivíduos que não costumam beber. Pessoas com maior acúmulo desse tipo de gordura possuem a silhueta no formato de maçã, com maior concentração de tecido em volta do abdômen. Já a gordura subcutânea possui aparência flácida e mais aparente. Por uma questão hormonal, acomete mais as mulheres, se concentrando em regiões como culote, coxas, pernas e quadril. Neste caso, as células adiposas se multiplicam com mais facilidade e deixam a silhueta com aspecto de pera.

Distinguir a proporção de ambas requer exames laboratoriais, porém, de acordo com a nutricionista Sinara Menezes da Nature Center, uma medida simples pode ajudar a identificar quando este acúmulo representa um risco à saúde: “Com uma fita métrica, pode-se medir a circunferência da cintura na região próxima ao umbigo. Se essa medida ultrapassar 102cm para homens e 88cm para mulheres é hora de ligar o sinal de alerta para o sobrepeso.”

Os vilões da boa forma

doces

. Carboidratos refinados: Alimentos à base de farinha branca possuem alto índice glicêmico, ou seja, causam picos de glicose no organismo. Como o organismo não consegue aproveitar toda essa glicose em forma de energia, acaba estocando o excesso em forma de gordura. Alimentos como a batata inglesa, o arroz, massas e pães brancos propiciam o ganho de peso por serem carboidratos simples, rapidamente absorvidos pelo organismo;

. Doces: Além de ser um carboidrato simples de altíssimo índice glicêmico, a sacarose estimula a liberação de neurotransmissores atuantes no centro de recompensa do cérebro, responsáveis pela sensação de bem estar ao degustar uma guloseima. Justamente por isso, quando estamos deprimidos, o organismo tende a “pedir” por alimentos açucarados. O problema é que esse círculo vicioso pode levar ao excesso de consumo e desestruturar a flora intestinal, causando distensão abdominal. É importante lembrar que a glicose excedente será armazenada como gordura no organismo;

. Refrigerantes e bebidas alcoólicas: Bebidas gasosas como refrigerantes, além de possuírem alta concentração de açúcar, causam a dilatação do volume abdominal. Já o álcool, além de irritar a mucosa estomacal causando inchaço, é rico em calorias (7 cal/grama) e aumenta liberação do cortisol – hormônio relacionado ao acúmulo de gorduras.

. Laticínios e outros alergênicos: Pessoas que sofrem de intolerância à lactose podem sofrer de distensão abdominal, inchaço e flatulências devido ao consumo de derivados do leite. Da mesma forma, celíacos podem ter dificuldade de perder peso por consumirem alimentos com glúten.

. Produtos industrializados: De acordo com a nutricionista, alimentos industrializados são um dos maiores vilões pois podem conter muitos açúcares, sódio (que própria o inchaço), gorduras maléficas e outros elementos químicos que colocam a saúde em risco. Além disso, normalmente são enriquecidos com realçadores de sabor que estimulam o consumo além da conta;

A nutricionista complementa que alimentos que aumentam a produção de gases como repolho, couve flor e o feijão podem aumentar o volume abdominal, porém, não devem ser eliminados da dieta devido seu alto valor nutricional.

Para evitar esse incômodo, o ideal é moderar seu consumo e realizar o preparo adequado – “No caso do feijão, deve-se deixar os grãos de molho por pelo menos 12 horas em água fria ou por 10 a 15 minutos em água quente para neutralizar as enzimas que causariam a fermentação no intestino.”

Os aliados do abdômen chapado

dieta

. Fibras: Hortaliças, legumes, frutas e cereais integrais são ricos em fibras. As cascas, folhas e talos e grãos presentes nesses alimentos possuem uma estrutura complexa que exige mais trabalho do sistema digestivo para quebrar o alimento. Por retardarem o esvaziamento gástrico, prolongam a sensação de saciedade e auxiliam no controle do apetite.

. Carboidratos complexos: de baixo índice glicêmico, esses alimentos liberam glicose de forma mais moderada, prolongando a oferta de energia e evitando a fome abrupta. Alimentos como a batata doce, a aveia, o arroz integral e o feijão nutrem o corpo e saciam por mais tempo.

. Alimentos funcionais: Alguns alimentos merecem destaque especial pois além de nutritivos, oferecem benefícios à saúde. Para quem deseja potencializar a perda de gordura e manter a dieta sob controle, alimentos como a linhaça dourada, a chia e goji berry possuem propriedades que, além e auxiliarem no controle do apetite, aceleram o metabolismo favorecendo a lipólise (queima de gordura). Neste mesmo âmbito encontra-se o famoso Chá Verde, conhecido por suas propriedades antioxidantes e termogênicas. O uso de farinhas funcionais enriquecidas com esses alimentos torna a inclusão desses alimentos na dieta ainda mais prática.

. Água: Sim, este item é fundamental para a boa forma! Além de ser essencial para manter as funções básicas do organismo, quando se aumenta o consumo de fibras é primordial hidratar-se bem para que elas não provoquem o efeito contrário do desejado, causando inchaço abdominal. A água possui efeito desintoxicante no organismo, auxiliando a eliminar as impurezas acumuladas que causam diversos efeitos maléficos ao corpo, dentre eles, a constipação. O ideal é que se consuma pelo menos 2 litros de água diariamente.

De acordo com Sinara, o mais importante para quem deseja reduzir a gordura abdominal é ter em mente que o corpo não emagrece exclusivamente em uma região – salvo os procedimentos cirúrgicos, nenhuma medida é capaz de reduzir a gordura localizada de forma significativa.

Portanto “Seguir uma dieta hipocalórica, reduzindo a ingestão de calorias vai culminar num emagrecimento em todo o corpo, inclusive no abdômen.” Para a profissional da Nature Center, por não ser apenas uma questão estética, o desejo de reduzir a barriguinha deve ser uma decisão apoiada por outras mudanças a longo prazo que trarão muitos benefícios ao indivíduo.

Fuja do sedentarismo

atividade_fisica

Outro ponto indispensável para conquistar o abdômen sequinho é investir na atividade física. Ainda que a alimentação seja um ponto chave, os exercícios podem acelerar a perda de gordura e aumentar o tônus muscular, dando uma aparência mais bonita à região.

Além disso, sair do sedentarismo é essencial para reduzir o risco de doenças e fortalecer o organismo. Contudo, engana-se quem imagina que o ideal seja fazer longas séries de abdominal – ainda que exercícios musculares desse tipo sejam importantes para fortalecer os tecidos, os exercícios aeróbicos são os mais potentes para queima de gordura, além de fortalecerem o aparelho cardiovascular.

Porém é importante lembrar: tanto para mudanças na dieta quanto para a realização de atividades físicas, busque sempre auxílio de um profissional de saúde.

Fonte: Nature Center

15 jul, 2015

Se você quiser emagrecer, esteja feliz!

Muitas pessoas pensam que estar em um determinado peso ou caber em certo tamanho de roupa fará com que elas sejam felizes, o que não significa que todas as pessoas magras sejam necessariamente felizes.

Manter uma postura positiva e estar feliz gera resultados melhores, mais auto confiança, mais energia, e claro, mais capacidade de chegar ao peso que você almeja e nele permanecer. Na verdade, quando seu cérebro encontra-se otimista e positivo, ele funciona em um nível muito mais eficiente do que quando tem sentimentos negativos ou pensamentos padrão.

Porque ser feliz?

Pesquisas sugerem que a felicidade pode influenciar em sua escolha por um estilo de vida saudável, e pode até ajudar seu cérebro a reforçar comportamentos regulados por emoções positivas, em vez de priorizar aqueles controlados por emoções negativas, como medo, insegurança ou solidão.

A felicidade mantém tanto seu cérebro como seu corpo mais saudáveis ao reduzir níveis de hormônios de estresse e inflamações. Além de sentir mais relaxado e contente, há muitos outros motivos pelos quais ser feliz faz a diferença, especialmente quando se trata da saúde de seu cérebro.

Sua felicidade pode:

Incentivar o desenvolvimento de sinapses – sinaptogêneses
Aumentar a eficiência mental
Ampliar sua habilidade de raciocínio e análise
Afetar a percepção do que o rodeia – estar mais “antenado”
Melhorar sua atenção

Isso ajuda a perceber o porquê a felicidade é tão importante. Padrões de pensamentos felizes resultam em pensamentos mais felizes. Quando se está feliz, você consegue controlar melhor a tomada de decisões e sente-se mais confiante com relação a comportamentos saudáveis que influenciam o peso.

Agora que você conhece esse pequeno truque que vem da neurociência, aplique-o em sua própria busca pela magreza, buscando três coisas que lhe fazem feliz diariamente.

Quais são? Poste para gente usando a hashtag #listafeliz

09 set, 2012

Reeducação alimentar

Afinal qual caminho seguir: reeducação alimentar ou dieta? Sem dúvidas eu indico a reeducação alimentar.

A reeducação alimentar é a receita para emagrecer com saúde e para sempre, e consiste em começar a alimentar-se de forma mais saudável na medida certa. Preferindo frutas, verduras, legumes e carnes magras ao invés de bolos, biscoitos recheados, refrigerantes, sanduiches e comidas “pesadas” como feijoada, frituras e buchada de bode, por exemplo.

O que eu gostaria de deixar claro é que reeducar a alimentação não é deixar de comer o que gostamos, mas aprender a comer um pouco de tudo, de maneira correta!

Regrinhas básicas para uma boa nutrição:

1. Reduza a quantidade dos alimentos ingeridos
2. Diminua o sal
3. Faça refeições pequenas em vários momentos do dia (pelo menos de 3 em 3 horas)
4. Monte um prato bem colorido
5. Evite gorduras e açúcares
6. Coma muitas fibras
7. Consuma vitaminas C e E
8. Aumente a ingestão de peixe, linhaça ou chia
9. Prefira carboidratos complexos, como pães, bolos, biscoitos, macarrão e arroz feitos com farinha integral
10. Beba no mínimo 2 litros de água por dia

Foi muito dificil começar a minha reeducação alimentar, mas aos poucos comecei a gostar dos alimentos integrais, frutas e fui trocando os doces por iogurtes lights.

A primeira coisa que cortei foi o refrigerante e com isso aumentei a ingestão de água. Levo até uma garrafinha de água no meu trabalho para não deixar de tomar, se não acabo “esquecendo”.

Comecei a comer de 3 em 3 horas e isso ajudou muito a diminuir minha fome e a vontade de comer bastante no almoço ou na janta.

Vou colocar aqui o meu cardápio diário (segunda a sexta-feira), mas já deixo claro que fui adaptando ao cardápio que minha nutricionista me deu:

CAFÉ DA MANHÃ:

1 copo de leite semi-desnatado ou desnatado com Nescau

INTERVALO DA MANHÃ: (por volta das 10h30)

1 iogurte Corpus Light com Pedaços de Morango com 1 colher de sopa de CHIA ou 1 fruta (maça ou banana).

ALMOÇO:

– 1 prato de salada (folhas e legumes crus)
– 1 concha de feijão
– 2 colheres de servir de arroz integral
– 1 bife bovino grelhado ou 1 filé de frango grelhado ou 1 filé de peixe grelhado.

INTERVALO DA TARDE: (por volta das 15h)

1 fruta ou 1 copo de suco.

INTERVALO DA TARDE: (por volta das 17h30)

– 1 lanche com pão integral na chapa: 2 fatias de pão integral com 1 fatia de peito de peru ou atum + queijo branco.

Como vou na academia as 19h30, por volta das 18h30 tomo mais 1 iogurte Corpus Light com Pedaços de Morango com 1 colher de sopa de CHIA, pois a Chia ajuda a dar saciedade.

JANTAR:

– 1 lanche natural (alface, tomate, peito de peru ou atum e queijo branco).
ou
– 1 omelete de claras (3 claras de ovos, brócolis, peito de peru, tomate, cebola, alho desidratado, cebolinha verde, palmito e orégano).
ou
– 1 frango grelhado com verduras, tomates, brócolis, batata doce e palmito.

CEIA:

– 1 fruta + gelatina light
ou
– 1 xícara de chá com 1 torrada
ou
– 1 bola de sorvete de creme da Molico (62 kcal).

Meninas quero muito lembrá-las que esse post é para mostrar para vocês minha atual alimentação, indico a todas a procurarem um nuticionista, pois cada caso é um caso.

Não passo fome em momento algum e se tenho aquela vontade louca por chocolate como um pedacinho do chocolate AMARO. Por isso que a reeducação alimentar é o indicado, não é preciso cortar nada que gostamos, só vamos aprendendo a comer os alimentos certos!

No final de semana, famoso dia do LIXO, me dou a liberdade de comer um pedaço de pizza, empada, lanche, mas tudo moderado!

Agradeço muito aos comentários do primeiro post do Projeto, vocês me animaram a continuá-lo…

Semana que vem tem mais!!

Fonte: MdeMulher